topo

Postado em 17 de Junho às 17h10

Tudo o que você precisa saber sobre um DRE gerencial!

MERCADO (6)

Esse artigo irá abordar sobre o demonstrativo de resultado de exercício – DRE, fornecendo as informações mais importantes para que você comece utilizar o DRE e gerar informações gerencias extremamente essenciais para a sua empresa.

O que é o DRE?

O demonstrativo de resultado de exercício – DRE é o relatório que evidencia se as operações da empresa geraram lucro ou prejuízo em um determinado período de tempo. A apresentação do DRE juntamente com o balanço patrimonial, assinados pelo contador com registro no Conselho Regional de Contabilidade (CRC), é obrigatório para todas as empresas.

Mas, além de ser um demonstrativo contábil o DRE pode ser utilizado de forma gerencial pelos gestores, pois, exibe a saúde financeira da organização. Através do DRE o gestor consegue analisar os valores de receitas, custos, despesas e ter um panorama sobre a realidade da empresa sabendo o que está consumindo mais as suas receitas e, comparar com outros períodos.

O DRE é um importante relatório para o gestor avaliar o desempenho geral da empresa, pois ele permite que os gestores de todas as aéreas, interpretem as informações sobre como está sendo formado o lucro líquido, e como isso é possível formar estratégias para a organização.

Está com dúvidas sobre como é estruturado um DRE? no próximo tópico abordaremos a estrutura do DRE, com a explicação sobre cada totalizador para ajudar no seu entendimento.

Estrutura de um DRE gerencial

( + ) Receita Bruta:
A primeira informação do DRE é a receita bruta, ela consiste no somatório de toda a receita gerada pela venda de mercadorias, produtos e/ou prestação de serviço.


( - ) Deduções da Receita bruta: Nas deduções da receita podemos incluir os impostos que incidiram nas vendas realizadas e/ou nos serviços prestados, como ICMS, PIS, COFINS, abatimentos concedidos.


( = ) Receita Operacional Líquida: A receita operacional líquida consiste na subtração das deduções da receita bruta sobre a receita bruta, obtendo a receita líquida das vendas.


( - ) Custos: Nessa linha agrupa-se os custos do produto vendido (CPV) e/ou custos da mercadoria vendida (CMV) e/ou custos dos serviços prestados (CSP). Ou seja, nessa linha serão informados os custos de produção, compra de mercadoria ou da prestação de serviço.


( = ) Resultado operacional Bruto: Também chamado de margem bruta, é um indicador bem importante para a empresa, pois, mede a rentabilidade do seu negócio. Por exemplo, sua empresa vende o produto por R$ 40,00, mas, gasta R$ 20,00 para colocá-lo a venda (custo de mercadoria, produção, execução dos serviços), com isso a empresa está ganhando R$ 20,00.


( - ) Despesas variáveis: São as despesas que estão relacionadas a venda e/ou produção, e/ou prestação de serviço e que variam conforme o seu volume. Podemos citar como exemplos as despesas com comissões de venda, fretes de entrega.


( = ) Margem de Contribuição: A margem de contribuição é outro indicador muito importante para a empresa, pois ele demonstra quanto a empresa esta gerando de recursos para pagar as despesas fixas e gerar lucro.


( - ) Despesas operacionais: São categorizadas pelas despesas fixas, vinculadas diretamente com os gastos para manter a empresa funcionando, mesmo que não houver produção e/ou vendas e/ou prestação de serviço. Podemos citar como exemplos salários do administrativo, aluguel do escritório.


( = ) Resultado Operacional liquido: O resultado operacional líquido demonstra qual o resultado para a empresa depois de decorridos os custos e despesas da atividade fim da organização.


( - ) Despesas financeiras: Demonstra os valores pagos de despesas financeiras. Pode-se citar como exemplos, as despesas dos juros pagos por um empréstimo, despesas com antecipação de boletos bancários.


( = ) Resultado Líquido: Demonstra o resultado da empresa antes dos impostos sobre o lucro.


( - ) Impostos sobre o lucro: São exibidos os impostos sobre o lucro, ou seja, o IRPJ (Imposto de Renda de Pessoa Jurídica) e CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido).


( = ) Lucro do exercício: Apresenta-se o resultado da empresa depois de descontados os custos, despesas e encargos do período analisado, é o resultado final do período analisado.

Ficou com dúvidas sobre como extrair informações a partir do DRE gerencial, confira uma metodologia para analisar um DRE.

Como analisar o DRE gerencial?

A análise do DRE pode ser realizada através da análise vertical e horizontal, que é uma técnica de simples aplicação e que permite a geração de informações valiosas sobre o desempenho empresarial.


A análise horizontal, permite a avaliação da evolução dos vários itens do demonstrativo nos intervalos de tempo. Com ela, o gestor pode analisar a evolução do seu lucro/prejuízo no decorrer dos meses do ano, por exemplo.


Já a análise vertical faz um processo comparativo entre os valores de uma mesma demonstração. Possibilitando ao gestor verificar percentualmente, quanto da receita liquida da empresa foi investida na conta de custos, por exemplo.

  • Flex Smart Sistemas - ERP para médias e grandes empresas -

Posso implementar o DRE gerencial na minha empresa?


A estrutura da DRE é simples de ser montada e não existe um único modelo, pois, depende do porte e atividade da empresa. Mas, para facilitar ainda mais no processo de implantação do DRE gerencial na sua empresa, é importante contar com o auxílio de um software que possibilite o gerenciamento de todos os dados, de forma simples e integrada com os lançamentos realizados em todos os setores da empresa. O ERP Flexsmart permite que a sua empresa parametrize o seu DRE gerencial e fornece em tempo real as informações para o gestor.


Quer conhecer mais sobre o DRE gerencial do ERP Flexsmart? Agende uma demonstração e conheça essa e outras funcionalidades disponíveis para a sua empresa, e se você já é nosso cliente, acesse nossa base de conhecimento ou entre em contato com nossa equipe para saber mais sobre essa funcionalidade!

Veja também

Benefícios da formação de preços por prazo e condição de pagamento27/05 Já faz algum tempo que se tornou possível fazer a diferenciação dos preços de bens e serviços ofertados pela empresa, conforme o prazo ou a forma de pagamento utilizada pelo cliente. Na prática isso significa que antes as empresas deveriam obrigatoriamente ter um único preço, indiferente se o cliente fosse pagar com dinheiro, cartão de......

Voltar para BLOG

SIDEBAR